Com a derrota de ontem, por 1 a 0 para o Botafogo, na Arena Condá, a Chapecoense caiu para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro, seis anos após subir para a Série A.

O rebaixamento do clube ocorreu quase três anos após o grave acidente aéreo, na Colômbia, antes da final da Copa Sulamericana, matando 71 das 77 pessoas a bordo, entre jogadores,funcionários e jornalistas.

Após o jogo, o técnico Marquinhos Santos, pediu desculpas aos torcedores depois de confirmarem o rebaixamento na competição. “Eu tenho que me desculpar com os torcedores”, diz ele. “As pessoas que trabalham aqui são grandes profissionais. É uma reconstrução do verdadeiro Chapecoense, esse é o sentimento que tenho”.

Para o treinador, o clube retornará ao cenário nacional muito mais forte do que era e sabe da responsabilidade mesmo assumindo o comando a pouco tempo, em setembro desse ano.

“Conhecíamos nossa responsabilidade no jogo [ontem]e não fomos competentes o suficiente para dar alguma esperança. É triste. É uma situação provocada por muitos jogos. Começamos a cair após a primeira rodada por causa dos erros que cometemos. Agora, temos que revisar todo o processo,reiniciar e recuperar”, finaliza.

#VAMOSCHAPE!

Torcedores lotaram a Arena Condá durante tributo às vítimas (Ivan Pacheco/VEJA.com)

O clube Chapecoense, fundado em 1973, em Santa Catarina, teve a sua melhor conquista chegando a final da Copa Sulamericana e conquistando o título em 2016. Receberam o troféu pela Conmebol, após uma decisão apoiada pelo Atlético Nacional, em meio a um grande apoio do mundo do futebol após o acidente de avião.

Além disso, o espanhol Barcelona organizou a partida do Joan Gamper Trophy contra a Chape para ajudar a reconstrução do time. Muito clubes brasileiros, também, ofereceram o empréstimo de jogadores gratuitamente para ajudá-los a completar a temporada.

Em 2016, o clube terminou em 11º no Brasileirão e na oitava colocação um ano depois, antes de cair para 14º em 2018.