É com grande pesar que estou escrevendo essa notícia no dia do meu aniversário. Pois eu gostaria muito de ter visto esse mito jogando no estádio Olímpico, em Roma. É o fim de uma era, o fim de uma lenda das quatro linhas: Francesco Totti se despede dos gramados no final do mês.

De acordo com o novo diretor esportivo da Roma, Ramón “Monchi” Rodríguez Verdejo, o atacante pendurará as suas chuteiras no final do mês de maio com 40 anos de idade e se tornará dirigente do clube romano. Seu último jogo será em 28 de maio contra o Genoa no Estádio Olímpico de Roma.

Totti foi fundamental na conquista da Copa do Mundo de 2006 com a Itália (Getty Images)

Aparecendo como jogador na Itália com menos de 15 anos, Totti marcou nove gols em 58 jogos pela seleção de seu país antes de sua aposentadoria da azzurra em 2006, depois de vencer a Copa do Mundo daquele ano.

É um jogador fora do comum, que viveu e respirou como poucos no mundo um único clube em toda a sua carreira desde sua estreia com 16 anos. Para ele vestir a mesma camisa é simples. “Quando era uma criança, eu tinha um sonho: ter uma carreira vestindo a única camisa que amei na vida. E eu nunca trairia esse sonho”, disse.

O jovem Totti vestindo a camisa do Roma no dia 28 de março de 1993 (Divulgação/Twitter Oficial)

Ele sempre seguia o lema de sua mãe Fiorella:  ‘Seja sereno e limpo por dentro’. Uma vez seu pai Enzo, em férias com a família na cidade costeira de Torvaianica, a meia hora do centro de Roma, o pequeno Totti passeava pela praia com seu pai quando viram alguns meninos jogando futebol.

Enzo perguntou ao grupo de crianças de oito anos se o seu filho poderia jogar. “Ele é muito pequeno”, insistiram. “Ele pode se machucar”. O pai insistiu e o pequeno de quatro anos, usando calções vermelhos e uma camisa branca com o número 4 nas costas, dançava em torno de crianças com o dobro de sua idade, deixando-os com a boca aberta. “Sua família foi um fator determinante. Ele tinha futebol em seu DNA. Ele jogou mudo: ele parecia desaparecer. Então de repente ele marcaria”, disse Emidio Neroni, que treinou Totti no Lodigiani (clube em que jogava na infância).

O atacante tira uma selfie após o segundo gol no empate de 2 a 2 contra o Lazio (Agência EFE)

Um gênio da bola. O imperador romano pendurará a sua eterna camisa 10 nos varais da história do seu clube de coração: Associazione Sportiva Roma. São poucos os profissionais que jogam pelo seu clube de infância tanto tempo e o atacante lendário Francesco Totti ficará eternizado no gramado do Olímpico, na cidade de Roma, na Itália, em toda a Europa e, claro, no futebol mundial.

Foram quase 800 jogos desde a sua estreia em 1993, dois títulos da Série A, dois da Copa Itália e dois da Super Copa Italiana. Pela camisa giallorossi, ele fez 307 gols em 24 anos de A.S. Roma.