Os dois maiores jogadores brasileiros e gênios do futebol, Edson Arantes do Nascimento e Manuel Francisco dos Santos tiveram uma das trajetórias mais fenomenais com a Seleção Brasileira. Mas, juntos no time titular, não perderam um jogo sequer com a camisa brasileira entre o período de 18 de maio de 1958 a 12 de julho de 1966.

Ao todo foram 40 jogos, com 36 vitórias e quatro empates com a seleção canarinho. Juntos, foram 55 gols no total. Pelé marcou 44 e, os outros 11, foram marcados pelo Mané Guarrincha. Em cinco ocasiões, Pelé anotou três gols no mesmo jogo, enquanto o máximo que Garrincha conseguiu foram dois gols em um mesmo jogo.

Foram 40 jogos juntos com a seleção canarinho (Getty Images)

A dupla estreou e se despediu com vitória, ambas sobre o mesmo adversário: a Bulgária. O primeiro jogo, que aconteceu no dia 18 de maio de 1958, no Pacaembu, em amistoso preparatório para a Copa do Mundo da Suécia, o Brasil venceu por 3 a 1, com dois gols de Pelé e um de Pepe.

A dupla jogava como uma linda canção na seleção brasileira (Arquivo)

Já, em 1966, na Copa do Mundo da Inglaterra, a seleção venceu por 2 a 0, com gols da dupla Pelé e Guarrincha. A grande pena foi que, na época, a dupla deixou o campo de Liverpool sem pompa, sem festa, sem homenagens. A partir daí, Garrincha e Pelé nunca mais atuariam juntos em jogos oficiais.

Na partida seguinte pelo torneio, com Pelé machucado, somente Garrincha vivenciou a derrota para a Hungria. Em noves anos de parceria, Garrincha e Pelé jogaram diferentes partidas pela seleção. Fora 27 amistosos (24 triunfos), sete compromissos em Copas do Mundo (seis vitórias e um empate), quatro duelos pelo antigo Campeonato Sul-Americano e dois pela extinta Taça Oswaldo Cruz.

Garrincha atuava pelo Botafogo enquanto Pelé era o maestro do Santos (Arquivo)

Em aproveitamento de pontos, com a dupla, a seleção teve 93,7%. Com Garrincha e Pelé em campo o Brasil ficava próximo da perfeição. Vale lembrar que naquela época as vitórias valiam dois pontos. Se considerar que hoje são três pontos por vitória, o desempenho seria de 87,5% dos pontos.

Pelé, com seus 25 anos, ainda brilharia por mais tempo no Santos e daria o tricampeonato mundial para o Brasil em 1970, no México, antes de pendurar as chuteiras em 1977. Já Garrincha estava com 32 e não exibia o mesmo futebol dos tempos áureos de Botafogo. Tentava recuperar-se no Corinthians. Longe de ter sucesso, ainda jogaria por Flamengo e Olaria até parar de forma definitiva, em 1972. O carioca faleceu no dia 20 de janeiro de 1983.

Confira abaixo uma reportagem sobre essa dupla genial: